quinta-feira, dezembro 16, 2004

Islamofobia

Como se sabe, nos últimos tempos esta palavra "islamofobia" tem sido usada, sobretudo por círculos islamitas, como contraponto a "anti-semitismo". É clara esta intenção, passando assim para o lado das "vítimas".

Não vou agora aqui discutir como foi cunhado o termo "islamofobia", fica para outra vez que o tempo é pouco, apenas registar que sob os auspícios das Nações Unidas houve um dia dedicado à islamofobia. Até aí, nada de especial, mas o compte-rendu de Alexander H. Joffe é exemplificativo do tipo de discurso não muito sério que se ouve nestes proponentes do conceito de islamofobia.

Só um pequeno exemplo:

The academics in particular displayed the almost ritualized distortion of facts that have given their profession such credibility. For example, the keynote speaker, Seyyed Hossein Nasr of George Washington University stated that the term ‘anti-Semitism’ in fact was originally directed at the Arabs in Spain and was directed only at Jews in the aftermath of World War II. Actually, the term dates only to 1879 and was coined by the German journalist and agitator Wilhelm Marr as a specifically anti-Jewish expression.

Os meus leitores mais antigos, sabem que eu já dediquei um pequeno artigo chamado Anti-semitismo, o que é? onde falei das origens da palavra anti-semitismo e de que ela se dirigiu apenas e só aos judeus e não aos povos semitas em geral.

Mais, Wilhelm Marr, no seu panfleto Der Sieg der Iudenthums uber der Germanenthum (que se poderia traduzir, aproximadamente, como A vitória do Judaísmo sobre o Germanismo) de 1873 (não 1879), identifica o "problema judeu" mais com base nas diferenças raciais do que nas diferenças religiosas.

Aliás, essa uma das razões pelas quais "islamofobia" não pode ser comparada com "anti-semitismo". A primeira dirige-se a uma religião, a segunda a uma raça, em primeiro lugar, que depois é identificada com uma religião. Mas o anti-semitas não querem saber se o judeu que odeiam é praticante ou não. odeiam-no por ele ser judeu (raça) e nada mais. E isso faz toda a diferença.