sábado, dezembro 31, 2005

Feliz ano novo!!!

quinta-feira, dezembro 29, 2005

O esplendor da democracia palestiniana

A noção de democracia do Hamas é deveras interessante, como se pode depreender deste artigo:
Nei municipi dove Hamas si è insediata già si vedono i segni di un nuovo stile: le impiegate cristiane abituate a stringere le mani a tutti sono tenute a distanza dai nuovi eletti, secondo cui questo contatto fisico viola i principi islamici.

Nel programma generale di Hamas c’è anche l’imposizione di una tassa speciale a tutti i non musulmani residenti nei territori palestinesi, chiamata al-jeziya. È una tassa che ricalca quella applicata nell’intera storia dell’islam ai dhimmi, i cittadini di second’ordine ebrei e cristiani.

Intervistato da Karby Legget su “The Wall Street Journal” del 23-26 dicembre, il capogruppo di Hamas al consiglio comunale di Betlemme, Masalmeh, ha confermato: “Noi di Hamas intendiamo introdurre questa tassa. Lo diciamo apertamente: diamo a tutti il benvenuto in Palestina, ma a patto che accettino di vivere sotto le nostre regole”.
Como se pode ver, para o Hamas, os não-muçulmanos são seres inferiores e têm que pagar por isso. Em segundo lugar, mandam às malvas o multiculturalismo (mesmo que o árabes cristãos sejam também palestinianos, existam na Palestina antes dos muçulmanos e partilhem, em numerosíssimos aspectos, a mesma cultura, apenas sendo de diferente religião, não sendo por isso imigrantes que chegaram recentemente à Palestina).

domingo, dezembro 25, 2005

quia natus est vobis hodie salvator qui est Christus Dominus

factum est autem in diebus illis exiit edictum a Caesare Augusto ut describeretur universus orbis
haec descriptio prima facta est praeside Syriae Cyrino
et ibant omnes ut profiterentur singuli in suam civitatem
ascendit autem et Ioseph a Galilaea de civitate Nazareth in Iudaeam civitatem David quae vocatur Bethleem eo quod esset de domo et familia David
ut profiteretur cum Maria desponsata sibi uxore praegnate
factum est autem cum essent ibi impleti sunt dies ut pareret
et peperit filium suum primogenitum et pannis eum involvit et reclinavit eum in praesepio quia non erat eis locus in diversorio
et pastores erant in regione eadem vigilantes et custodientes vigilias noctis supra gregem suum
et ecce angelus Domini stetit iuxta illos et claritas Dei circumfulsit illos et timuerunt timore magno
et dixit illis angelus nolite timere ecce enim evangelizo vobis gaudium magnum quod erit omni populo
quia natus est vobis hodie salvator qui est Christus Dominus in civitate David
et hoc vobis signum invenietis infantem pannis involutum et positum in praesepio
et subito facta est cum angelo multitudo militiae caelestis laudantium Deum et dicentium
gloria in altissimis Deo et in terra pax in hominibus bonae voluntatis
et factum est ut discesserunt ab eis angeli in caelum pastores loquebantur ad invicem transeamus usque Bethleem et videamus hoc verbum quod factum est quod fecit Dominus et ostendit nobis
et venerunt festinantes et invenerunt Mariam et Ioseph et infantem positum in praesepio
videntes autem cognoverunt de verbo quod dictum erat illis de puero hoc
et omnes qui audierunt mirati sunt et de his quae dicta erant a pastoribus ad ipsos
Maria autem conservabat omnia verba haec conferens in corde suo
et reversi sunt pastores glorificantes et laudantes Deum in omnibus quae audierant et viderant sicut dictum est ad illos

Evangelium secundum Lucam

quinta-feira, dezembro 15, 2005

Recomendação de leitura

Por muita vontade que tenha, está difícil escrever muito no blog porque o trabalho é muito.

No entanto, não quero deixar de recomendar a entrada Forbbiden Colours do FCG n' O Insurgente a propósito da saudação romana feita por Paolo di Canio num jogo da Lazio com o Livorno.

O FCG tem escrito pouco, mas quando escreve é brilhante e aponta muito bem a hipocrisia que reina por quase toda a Europa (e inclusive em Portugal, ver o art.º 46, parágrafo 4), com a dualidade com que se aprecia dois tipos de ideologias assassinas que devastaram o século vinte: fascismo/nazismo e o comunismo.

Fazer a saudação romana (de que o fascismo de Mussolini se apropriou) é proibido e censurador, andar com o Che Guevara é "cool"...

E assim vai a Europa.

segunda-feira, dezembro 12, 2005

Fanatismo islâmico na Europa

O totalitarismo islâmico, mesmo minoritário no continente europeu, já se sente com força para tentar impor aos povos que os acolhem a intolerância que demonstram contra todos que não pensam como eles (eles sentem-se com força porque há por aí uns iluminados multiculturalistas e amantes de diversidades, para além de uma mãozinha da extrema-esquerda, que pensam que tudo é relativo).

Agora o caso passou-se em Saint-Genis-Pouilly, em França, mas bem junto à Suíça, em que organizações muçulmanas e a própria mesquita de Genebra, quiserem impedir a representação da Le Fanatisme ou Mahomet le prophète de Voltaire. Se as autoridades não cederam ao politicamente correcto desta vez, mesmo assim houve incidentes durante a representação da peça.

E, ainda há para aí uns outros iluminados que andam preocupados com um alegado fundamentalismo católico! Devem estar a precisar de óculos.

sábado, dezembro 10, 2005

Futebolices

Sorteio do mundial - Não gostei. Quando Portugal tem grupos destes é de tradição fazer borrada. Lembre-se Atenas 2004, onde a selecção olímpica são fez asneiras ou o Mundial 2002 onde, de igual modo, foi uma vergonha de todo o tamanho.

Virgílio, na Eneida, pôs na boca de Laocoonte, avisando os troianos para não aceitarem o Cavalo de Tróia,as seguintes palavras: "Timeo Danaos et dona ferentes" (Temo os Gregos, mesmo quando fazem ofertas [aos deuses]). Eu, por outro lado, também desconfio quando os grupos são muito fáceis. Por isso, estou um pouco de pé atrás...

Regresso a uma certa normalidade - Ontem, o Sporting de Paulo Bento espalhou-se ao comprido em Alvalade. Não vi o jogo, não sei se o resultado foi justo ou injusto (se é que há justiça no futebol). Mas, não se pode deixar de reconhecer que não era algo de improvável. Apesar das loas dos jornalistas (basta ver o último jogo com o Porto e as primeiras páginas dos jornais do dia seguinte), o facto é que o Sporting não andava a jogar nada de por aí além (aliás, pouca gente o anda a fazer). Por isso, foi, para mim, sem surprea que soube do resuldado de ontem.

Queixinhas - Para quem andou para aí a chamar nomes aos outros por fazer queixinhas aos órgãos disciplinares da Liga, a acção do Benfica em queixar-se à UEFA de Cristiano Ronaldo foi o quê? Um acto cívico e de cidadania? Eles bem têm a mania de que o Benfica é um clube diferentes, mas no fim de contas, é igual a todos os outros (bem, têm mais pedantismo do que os outros, isso é verdade, estão sempre a falar em milhões, mas não é de euros).

quarta-feira, dezembro 07, 2005

Um dia cheio de história

Há 64 anos atrás, a 7 de Dezembro, os Estados Unidos eram atacados pelo Império do Sol Nascente, isto é, o Japão, marcando a entrada efectiva dos Estados Unidos na 2.ª Guerra Mundial. O Japão atacou Pearl Harbour, no Hawaii, sem qualquer sem aviso prévio ou declaração de guerra, pelo que o Presidente Roosevelt declarou que este dia seria "a date which will live in infamy". Por isso, para muitos americanos desta geração este dia é conhecido como o "dia da infâmia".

Há 30 anos atrás, a Indonésia invadiu Timor-Leste (mete-me sempre impressão utilizar "leste" como se fosse um adjectivo; lembro-me que anteriormente se dizia "Alemanha de Leste", o que estava correcto). A sequência já o sabemos, dezenas de milhares de mortos até ao referendo de 1999. Contra todas as expectativas, Timor conseguiu a independência. Mas estes casos de vitória de David contra Golias estão cada vez mais difícies...

terça-feira, dezembro 06, 2005

Crucifixos, mais uma vez...

...mas desta vez em Inglaterra e não por uma qualquer associação inquisidora laica mas pelo ainda muito mais temível pensamento único "politicamente correcto".

Uma rapariga foi suspensa por um dia numa escola inglesa porque levava um crucifixo ao pescoço. O multiculturalismo quando se torna numa religião é uma coisa perfeitamente estúpida e perigosamente totalitária.

Os ingleses que não abram os olhos e aquilo que aconteceu em França parecerá uma brincadeira. Aliás, é preciso não esquecer que os franceses quando se depararam com actos terroristas de islamitas argelinos em 1995 foram muito mais eficazes do que os ingleses a combatê-los e a Inglaterra em nada ajudou porque alguns dos argelinos fugiram para Inglaterra e Londres esteve mais de 10 anos sem os extraditar. Foi preciso o 7 de Julho para abrirem os olhos, mas ao que parece ainda não os abriram suficientemente.

segunda-feira, dezembro 05, 2005

Terrorismo em Israel

O terrorismo palestiniano voltou a atacar.

E depois querem-nos convencer que é Israel quem impede a paz.

2 anos

Há dois anos comecei este blog (embora noutra casa). Não me arrependo. Tem sido divertido, mas nos últimos tempos não tenho tido possibilidade de escrever tanto no blog por motivos laborais. Mesmo assim, espero continuar a poder manter este blog.

A todos os que me lêem, obrigado.

domingo, dezembro 04, 2005

O Crucifixo crucificado

A retirada dos crucifixos é uma polémica escusada e até certo ponto ridícula. A nossa Constituição estabelece a separação entre a Igreja o Estado, pelo que, como católico, a não existência de crucifixos nas salas de aula é coisa que não me preocupa de sobremaneira. Já quanto ao modo como tudo isto começou parece-me tenho mais dúvidas e muitas reticências. Mas estas dúvidas não são só minhas.

Na Grande Reportagem de ontem (sem link), José Manuel Barata-Feyo, dificilmente um direitista, também tem dúvidas sobre o assunto.
Segundo o Diário de Notícias, a ministra Lurdes Rodrigues tomou esta medida a pedido da Associação República e Laicidade (ARL). [...]
Também entendo que a ARL cante uma «vitória do bomsenso», com a qual «ganhamos todos». A associação não tem de ter responsabilidades políticas. Em contrapartida, já me custa a compreender que a ministra não perceba que se trata de uma vitória do mau senso, uma vitória de Pirro, com a qual perdemos todos. Ou, pior ainda, que até o tenha percebido, mas que não tenha tido coragem de dizer «não» ao pedido da ARL (como sugere o facto de a ordem não ter sido dada numa circular dirigida às escolas públicas, mas sim através de um ofício - espécie de circular semiclandestina - enviado às direcções regionais de educação, legitimando que se questione o bom fundamento e, até, a boa consciência da decisão).
[...] a ministra reagiu politicamente à denúncia de uma associação que, em nome do respeito devido a um princípio constitucional, «perquisicionou» Portugal em cata de símbolos religiosos, independentemente da sua exibição originar qualquer tensão social, cultural ou religiosa nas escolas públicas. Igual diligência se espera do Governo perante a clara violação dos preceitos constitucionais que garantemm trabalho e habitação a todos os portugueses. [...]
A segunda evidência é que a ministra não está a prevenir um problema do género que se colocou em França em relação ao véu islâmico, nem sequer a criar um precedente para legitimar a sua futura proibição. [...] Antes pelo contrário, a ministra é que acaba de criar um problema lá onde ele não existia, ao transpor para a realidade nacional um conflito virtual, abstracto e artificial. A cruz, símbolo do cristianismo, não constituía uma ameaça para ninguém, enquanto a sua retirada, «por ofício», vai inevitavelmente cristalizar as atenções e, bem provavelmente, ameaçar a tranquilidade nas escolas - a mesma que a ministra queria acautelar, ao que parece! Temo que renegar o que fomos, para podermos ser o que a ministra acha que somos...
Esta mania de querer vergar a realidade aos ditames ideológicos remete para o cerne da questão porque é típica dos socialistas. [...] O que está errado? Os crucifixos nas escolas ou os 84% dos filhos de imigrante que não se sentem excluídos? São os jovens, é claro, porque os socialistas têm por eles o sentido da História. E se a História não lhes der razão, é a História que está errada... Francamente, deixemos de baixar as calças. Ámen.