domingo, outubro 24, 2004

Legendagem

Tenho normalmente um grande apreço por aqueles que fazem tradução/legendagem de programas de televisão porque conheço as condições difíceis com que muitas vezes trabalham. Conheço pelo menos duas pessoas que fazem tradução para as televisões nacionais, conheço as suas competências e sei do que são capazes. Por isso, não sou demasiado crítico em relação a alguns erros que acontecem na legendagem de programas.

Acresce ainda que sendo eu tradutor, e tendo paixão pela minha profissão, jamais gostaria de ser intérprete ou responsável por tradução/legendagem de programas. E porquê? Se há competências básicas similares, os processos são por vezes muito diferentes, requerendo também outros processos de trabalho de que eu não gosto muito. Gosto de trabalhar com textos escritos (sim, não se espantem por eu escrever "textos escritos" porque a definição de texto é algo complexa ao longo da curta história da linguística) e apenas com estes.

Mas se sou tolerante com erros de decorrem das condições em que a tradução e legendagem é realizada, não deixando tempo para reflectir sobre algumas das decisões de tradução tomadas (e de que os clientes se estão perfeitamente nas tintas porque desconhecem o que é traduzir), já não o sou tanto com erros que relevam de uma cultura geral ou formação incompletas para além do admissivel

Para ilustrar o que digo, dois exemplos:
1 - Canal Odisseia, programa Maravilhas do Mundo, sobre a cidade de Córdoba. A certa altura o locutor diz, falando a propósito da queda de Granada, "Castilla" e "Isabel e Ferdinand". Que eu saiba em português seria "Castela" e "Isabel e Fernando". A língua de origem do documentário era alemã, assim se explica o nome do rei. Isto é falta de cultura geral.

2 - Canal História, programa Reescrevendo a História sobre a morte de Marilyn Monroe. A certa altura o locutor diz "teoristas da conspiração" em vez de "teóricos da conspiração" ou, melhor, mais natural em português, "adeptos das teorias da conspiração". Aqui, no mínimo houve falta de atenção...

Exemplos como estes são às dezenas e por vezes, pelo menos para mim, arruinam aquilo (não é propriamente o caso destes, mas houve alguns no passado verdadeiramente desastrosos) que estou a ver. Um poucochinho de mais atenção, dentro do possível, não seria pior.