segunda-feira, dezembro 27, 2004

Intendência

Bom, em primeiro lugar, já regressei do fim-de-semana, que isto de nos afastarmo-nos do blog por outros motivos que não sejam apenas os de trabalho também é bom (pelo menos de vez em quando).

Por outro lado, agradeço, obviamente, a referência que me foi feita tanto pelo Nuno, como pelo André ao classificarem este meu blog entre os seus preferidos.

Não seria preciso dizê-lo, pois eles sabem-no, que também eles são bastante apreciados por estas paragens.

Em segundo lugar, não posso deixar de registar, com natural horror, a catástrofe ocorrida no sudeste asiático, cujas as reais proporções ainda estarmos por perceber completamente. O sentimento de impotência perante tantas milhares de mortes, tenderá sempre a chocar, embora, no caso das catástrofes naturais, ao contrário das provocadas pelo homem, todo este choque e horror tende a ser esquecido com bastante rapidez. Provavelmente, no final desta semana já não se falará muito do assunto.

Por fim, na política nacional, não se passa nada de novo. Foram todos de férias de Natal. É certo que se soube que Menezes seria cabeça de lista do PSD por Braga. Mas, numa democracia representativa como a nossa, em que os deputados, mesmo que sejam naturais ou residentes dos círculos pelos quais se candidatam, não se sentem muito ligados aos círculos que os elegem, esta questão dos cabeças de lista é um pouco de somenos importância. Todavia, é ainda assim significativa de modo como os partidos tratam esta questão. E, neste caso, não me pareceu uma opção muito feliz.

Mas a procissão ainda vai no adro e vamos ver muitos casos estranhos em todos os partidos.