segunda-feira, janeiro 16, 2006

Para que serve o Ministério da Cultura?

O Da literatura já há muito tempo que, para mim, se tornou um blog imprescindível e nem é porque concorde sempre com o que lá é escrito (basta comparar com o que eu escrevo aqui), mas é, sobretudo, por as opiniões desembaraçadas de poeira ideológica da história que, frequentemente, se pode aí ler.

E para testemunhar o que digo, tem esta magnífica entrada Vingar António Ferro. Realmente ter um ministro da Cultura serve para quê? Resposta:
Para distribuir uns dinheiritos aqui, outros ali; levar uns artistas a Veneza e outros a São Paulo; manter teatros e museus do Estado de porta aberta; comprar um molho de exemplares do JL para diáspora ler; patrocinar uma controversa colecção de clássicos; garantir edições avulsas na área do ensaio duro; levar escritores bestsellers a banhos; assegurar a rede de bibliotecas públicas; subvencionar o teatro independente; e o bailado e outras artes idem; criar condições de excepção para que Manoel de Oliveira continue a filmar; enfim, para cumprir tais tarefas, duas das quais, do ponto de vista do contribuinte, me parecem abusivas — um jornal privado com muleta pública, as excursões a Parati —, para isto, que é mera gestão administrativa, chegava e sobrava uma direcção-geral obrigada às normas da contabilidade pública.
Nem mais.